segunda-feira, 27 de setembro de 2010

É assim, de repente...

Ela chegou em casa, fechou a porta, encostou na parede e abaixou. Colocando as mãos na boca não conseguia pensar em nada, ou então pensava em tudo, seus olhos viravam para um lado e para o outro, ainda não percebeu o que estava acontecendo, o que acabara de acontecer.

Aquele cara que odiara durante séculos, era um completo desconhecido depois de sentir seus lábios úmidos e gelados... O moleque irritante agora era o homem que mexia com seu mais profundos desejos... E medos...

O que foi aquilo? Não se perguntava isso, mas no fundo era o que estava lá dentro, lá dentro atrás de seus olhos confusos de um lado para o outro...

Só conseguia pensar naquele cheiro, na boca tão gostosa, molhada, gelada, saborosa, carnuda e tão dominadora de forma profunda e devastadora...

Até o nome dele agora lhe era tão diferente, tão forte... Victor Emanuel... Nome composto... Ela nunca tinha dado importância pra isso, mas Victor Emanuel... Era tão lindo, como não notou isso antes, tão forte, combinação tão perfeita, tinha tanta harmonia...

De repente aquele garoto idiota desapareceu... Via um homem apenas, um homem de olhar que lhe acalmava a alma, um homem com cabelos lisos e castanhos por onde as suas mãos dançavam como uma dançarina de pole dance... Um homem que ao tomá-la em seus lábios o mundo desaparecia... Numa eternidade de alguns segundos...

É assim, de repente...

Amanda Ribeiro

2 comentários:

Ramon Barbosa Franco disse...

O texto me pegou do começo ao fim, não consegui parar de ler antes do final. Gostei muito, parabéns Amanda Ribeiro

Amanda-Bebé Maberly ♪ disse...

Obrigada, Ramon. Me sinto muito feliz e lisonjeada!
Um beijo... = *